VOCAÇÃO SACERDOTAL

A palavra Sacerdote tem sua origem no latim Sacerdos (sagrado); e otis
(representante). Portanto “representante do sagrado”. Pode-se com isso imaginar a
tamanha responsabilidade conferida a quem exerce o sacerdócio. Nosso dicionário
da língua portuguesa a define como uma autoridade ou ministro religioso, habilitado
para dirigir ou participar em rituais sagrados de uma religião em particular.
Ser sacerdote é acima de tudo uma bela vocação. É uma vocação
desafiadora, ousada e muito necessária para o povo de Deus. Ser padre é seguir
um caminho para o serviço a Deus e ao próximo a exemplo do próprio Cristo que
amou a todos nós e ofereceu sua vida em sacrifício.
Antes de qualquer coisa, ser padre é responder a um chamado e ser feliz
como pessoa. Fazer uma escolha de Deus que torna a pessoa feliz e depois deve
refletir na vida diária.


Ao sacerdote cabe a missão de ajudar a própria comunidade a se santificar
e vice-versa. É uma ajuda recíproca. A figura do sacerdote é popularizada como
padre (pai) para estar com as pessoas, ser construtor de uma família dos Filhos de
Deus, a Igreja, chorar com que chora, rir com quem ri. Ser totalmente de Deus e ao
mesmo tempo do povo como uma ponte.


É ter uma profunda espiritualidade, uma grande capacidade de diálogo, de
relações autênticas e principalmente uma profunda comunhão com Deus.
Como todas as vocações e serviços, o padre também não está somente a
serviço da Igreja, mas deve ser sinal para o mundo. Ao assumir uma missão na
sociedade faz a diferença, sendo um homem do diálogo, que busca ligar as
pessoas, os grupos, as religiões. É estar ao lado dos pobres, dos fracos, dos
marginalizados pela sociedade.

É ser uma pessoa feliz, realizado como homem de Igreja, que foi feito para
servir a Deus.


Em Jo 15,12-17 Jesus deixa claro que é Ele quem faz a escolha e confia aos
seus chamados o mandamento do amor. Compreende-se portanto, que o
verdadeiro discípulo de Jesus Cristo vive acima de tudo o amor. O sacerdote é por
excelência, um discípulo do Mestre Jesus.
Em outra ocasião, Jesus mostrou que amar é estar a serviço, exemplificou
isso lavando os pés de cada um dos Apóstolos reunidos para a Ceia (cf. Jo 13,1-
20). Nesta perspectiva, ser padre significa ter cada dia a consciência de que se
serve e a quem se serve. Tendo essa consciência sabe-se da responsabilidade
que recai sobre a pessoa, o sacerdócio é confiado pela Igreja e portanto, é à Igreja
que se deve servir.

Padre Marcelo Ocanha – OSJ.

Leave a Reply

Your email address will not be published.