Santuário Santa Edwiges

Estrada das Lágrimas, 910 - Sacomã - São Paulo, SP

(11) 2274 2853

Palavra do reitor › 01/06/2015

Santidade: Fruto da vida Pascal

Santidade.Caros, amigos, devotos, romeiros, paroquianos que se servem do Jornal Santa Edwiges, que a paz esteja com todos!

Tenho escrito nos anos anteriores nesta minha coluna, e falando sempre dos santos que celebramos neste mês: Santo Antônio, São João, São Pedro e São Paulo, todas as colunas da Igreja, santos de uma importância incontestável. Este ano quero refletir e levar a um vértice da fé, este nos encaminha para a Santidade, que é a vivência Pascal.

A comunidade dos Atos dos Apóstolos é o modelo de virtude, estão na pós-páscoa, e tem esse ardor crescente animado pelos testemunhos de Pedro e dos Apóstolos, se acompanharmos os três primeiros capítulos ele sempre com entusiasmo e muito eloquência adverte, convida a conversão chama e apresenta o Cristo aos que não o conhecem, e desafia também os que o conheceram a mudar a visão, chegando ao que se descreve em Atos 3,32 “A multidão dos fiéis tinha uma só alma e um só coração. Não chamavam de própria nenhuma de suas posses; ao contrário, tinham tudo em comum.” e na sequência se apresenta o que é fundamental, “Com grande energia davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus e eram muito estimados.”(At 4,33).

O fruto da Páscoa, a Ressurreição, é testemunhado pela comunidade e descrito no versículo acima citado, com energia, essa é a geradora da vida, da dedicação em seguir o que fora dado aos Apóstolos pelo Senhor, e deste ser vivido e aplicado na própria comunidade, romper as divisas, dar-se, ser para os outros, irmãos, amigos, aqueles que acolhem e fazem a vida, a pureza a dedicação acontecer.

Em uma sociedade onde se vê, se denuncia tantas usurpações, tantas malandragens, e o que nos cerca nos jornalismos, falar de santidade parece estar fora da vida ou da sociedade, ser santo não significa ser bobo, basta ver a força e o testemunho de Pedro, Paulo e dos outros Apóstolos, significa sim, lutar e apresentar a verdade, e por ela se por á serviço, à disposição. A pureza de coração e a entrega de tudo e de todos citada nos Atos, é fruto de um testemunho e de uma vivência, por isso que os cristãos precisam ser semente de novos tempos, ser sementes de justiça, de respeito, ser aqueles que causam a motivação de ser respondido a cada circunstância com o devido respeito ao que se propõe qualquer que seja o evento, o respeito à vida e a sociedade envolvida.

Nos evangelhos após a ressurreição, Jesus enviou os Apóstolos, e hoje, somos nós que devemos fazer esta parte do Ide, de fazer o anúncio, como em João Ele pediu a Pedro, “apascenta os meus cordeiros” (Jo21, 16c) e em Marcos, “Ide por todo o mundo, proclamando a boa notícia a toda a humanidade”. (M16, 15). Como ressuscitados caminhemos, com força e santidade para ser sinal de esperança no mundo.

Com carinho, uma boa celebração dos santos deste mês, e o convite a nós, você e eu, sejamos testemunhas com energias da Ressurreição do Senhor.

 

Pe. Paulo Siebeneichler
Pároco Reitor da Paróquia Santuário Santa Edwiges

X