ESCOLHEMOS A FESTA DE DEUS?

Amados e Amadas de Deus!

Saúde e Paz!

Em 11 de março de 2005, foi publicado o resultado de uma pesquisa realizada pelo Pontifício Conselho da Cultura sobre o comportamento religioso da sociedade mundial. O resultado não falava de diminuição religiosa, mas de desinteresse por Deus. A Palavra que ouvimos fala de desinteresse pelo projeto de Deus, desinteresse pelo Reino de Deus. Existe, portanto, interesse religioso e desinteresse pelo projeto de Deus. O interesse religioso é verificado, por exemplo, na busca de milagres e favorecimentos divinos para a vida pessoal. Outro fato, relacionado à 1ª leitura e ao nosso momento histórico, é o fenômeno da crise. A profecia de Isaias tinha a finalidade de combater o pessimismo cada vez mais crescente no meio do povo. Incentiva a reação do povo prometendo um encontro festivo com Deus. A proposta de Isaias é para o povo não ficar parado, mas agir, preparar a mesa para o banquete do encontro com Deus. Diante da crise, não se pode resignar, dizendo simplesmente que é vontade divina, é preciso reagir. A reação à crise é feita preparando um banquete, uma festa. Isaias anima o povo com uma pedagogia interessante: se ficamos parados lamentando a crise, nunca iremos festejar a vitória de ter superado o desafio da crise; é preciso reagir.

No tempo de Jesus, o maior desejo que alguém pudesse ter era ser convidado para participar da festa de casamento do filho do rei. Não se tratava de um banquete de duas ou quatro horas, mas de quase uma semana de mesa farta e saborosa. É assim que Jesus apresenta o projeto divino: Deus oferece um banquete que dura a vida inteira, com comida farta e saborosa. A reação ao convite está em três atitudes dos convidados: desinteresse, egocentrismo e violência. É o mistério da recusa de Deus. Neste Mês Missionário, lembramos, por exemplo, de missionários convidando para participar do banquete do Reino e recebendo recusas de desinteresse, de indiferença e de violência. Mesmo assim, é preciso reagir e continuar convidando para a festa do Reino de Deus.

Diante da realidade social e religiosa do desinteresse pelo Reino de Deus, devido ao crescente e egoísta interesse pelos projetos pessoais, somos convidados a refletir sobre como me comporto em relação a Deus. Por que eu me aproximo de Deus? Para obter privilégios de curas e milagres ou por que sou convidado a participar do projeto divino? O mistério da recusa de Deus parece ser incompreensível até mesmo para Jesus Cristo: o que poderia haver de mais desejado que participar do banquete nupcial do filho do Rei? O que poderia haver de melhor neste mundo que aceitar o convite para se alimentar da vida oferecida por Deus? A Palavra de hoje proporciona-nos um momento para celebrar o acolhimento do convite do Reino, mas vestido com o traje da festa do banquete. Quer dizer, revestidos com os valores do Reino de Deus. Revestidos com a vida de Jesus Cristo, revestidos com o traje do Evangelho. Amém!

Padre Sérgio José de Sousa, OSJ

Pároco-Reitor

Leave a Reply

Your email address will not be published.