Liturgia diária
Evangelho: 2ª Semana do Tempo Comum – Quarta-feira
Santo: Santo Antão do Egito

Para refletir: ” A suprema misericórdia não nos abandona nem mesmo quando nós a abandonamos!” São Gregório Magno
Jornal
Galeria de Fotos
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr

Sínodo

Estamos vivenciando a etapa preliminar do primeiro Sínodo Arquidiocesano de São Paulo – Caminho de comunhão, conversão e renovação missionária, e este deve nos interpelar mudanças, visando uma evangelização, uma nova eclesialidade, diálogo e um jeito novo de ser Igreja.

Sínodo é uma palavra que vem do Grego: Syn-hodos = Juntos a caminho. Neste contexto, no Colégio Madre Cabrini aconteceu no dia 16 de setembro, uma formação para os “Animadores Paroquiais do Sínodo”, contando com a presença de Dom Odilo Scherer e vários membros da comissão, dos quais destacamos: Dom Luiz Carlos, Pe. José Arnaldo, Pe. Tarcísio, Pe. Baronto, Pe. Jordélio, entre outros.

Dentre as motivações, Dom Odilo Scherer enfatizou a teologia do Hino oficial do sínodo, no qual somos convidados a sermos continuadores da missão evangelizadora. É preciso tomar consciência da nossa pertença e da nossa responsabilidade, diante de uma “Igreja em saída”. É um tempo de kairós, tempo para analisar, dialogar e compreender a missão e a renovação que necessitamos concretizar. Somos uma terra marcada por grandes santos, homens e mulheres que doaram suas vidas e foram capazes de colaborar na construção eclesial. É necessário este sínodo em nossa cidade, em nossa arquidiocese. Um caminho que deve perpassar todas as comunidades paroquiais e vicariatos, onde se estimule a participação e engajamento de todos. Deus torna a Igreja viva e fortalece a sua presença nesta cidade, presença que

interpela mudanças. É preciso olhar para nós e perceber a identidade que carregamos, assim como os desafios que devemos superar para vivenciarmos um novo jeito de ser igreja. Somos frutos de uma história, de uma caminhada. Portanto, é preciso ouvir atentamente a voz de Deus e traçar metas e projetos que venham a melhorar a vida da igreja.

O encontro proporcionou partilhas e orientações que viriam situar os animadores sinodais, destacando a necessidade urgente de tomar ciência da importância da comunidade para gerar uma renovação missionaria. É preciso navegar em águas profundas, ir até as bases que fundamentam a nossa igreja e perceber a beleza que habita no seu interior. Para isto, é necessário conversão e assumir o compromisso cristão. Tendo presente a mudança de época que vivemos, devemos recolocar Cristo no Centro e refazer a nossa caminhada. A fé deve levar ao comprometimento pastoral e missionário.

“Ser animador pastoral, como bem frisou o Pe.  Jordelio Siles Ledo, é vivenciar a alegria do evangelho. É perceber que sentimento acontece no caminho, diante dos apelos de Deus na vida concreta, dos desafios atuais”. Ressaltou uma frase do papa Francisco: “É urgente a revisão de nosso processo de transmissão da fé.  É um desafio que interpela a todos “.

O animador paroquial deve olhar e perceber o povo sofrido e sedento de Deus ofuscado pela paisagem social. É preciso pedir luzes e assumir um sério compromisso cristão. Este poder olhar profundamente é tomar consciência. Para assumir melhor este compromisso de renovação, é preciso analisar a organização de ação evangelizadora, a luz da Palavra de Deus, do magistério e das recentes orientações da Igreja. Como ação e finalização deste sínodo, deve-se elaborar diretrizes para uma nova organização pastoral.

Todo o tempo em que o Sínodo se realizar, devemos celebrar a presença de Deus que caminha junto ao povo seu. Como Discípulos-Missionários, testemunhar a fé, indagando a estruturas e as ideologias que nos governam.

Vivenciar o sínodo é fazer a experiência da Presença de Deus, da sua Pessoa, que nos revela sua grandeza e nos interpela a um projeto de vida cristão. Assim estará o animador ciente da sua missão, pleno de predisposição e promotor da igreja.  Nesta etapa preparatória, os objetivos principais buscam promover a reflexão e a tomada de consciência sobre a vida e a missão eclesial que se expressa “nas bases” da Igreja, em cada comunidade local. Desde então, é preciso sair ao encontro de Deus que se deixa acontecer. Buscar uma profunda espiritualidade, testemunhando a fé. É tempo de fazer memória e rezar atentamente as mudança que nos rodeiam.

 

 

Por Creone Brandolfo Teles, OSJ.

 

Para mais informações sobre o Sínodo, acessem o site: http://www.arquisp.org.br/sinodo

Compartilhe e evangelize: