Liturgia diária
Evangelho: Confira as leituras da Liturgia da Palavra e a reflexão do dia
Santo: Conheça a história de fé do Santo celebrado pela Igreja

Para refletir: “Cristo é a imagem do Deus Invisível, o primogênito de toda a criação, pois é Nele que foram criadas todas as coisas, no céu e na terra, os seres visíveis e os invisíveis … Tudo foi criado através Dele e para Ele!” São Paulo
Jornal
Galeria de Fotos
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
Notícias › 17/04/2019

Quinta-feira Santa do Papa no Cárcere de Velletri

O Papa Francisco repetirá o gesto de Jesus de lavar os pés dos seus discípulos, em sinal de serviço para com os irmãos e de amor solidário no Cárcere de Velletri, cidadezinha nos arredores de Roma.

Pela quinta vez o Papa celebrará a Missa da Ceia do Senhor com a cerimônia do lava-pés em um Instituto Penal. Em 2013 Francisco foi ao Cárcere de Menores de Casal del Marmo, em 2015 no Cárcere de Rebibbia, 2017 no presídio de Segurança Máxima de Paliano e no ano passado no Cárcere de Regina Coeli.

A sua visita ao Cárcere de Velletri será reservada, segundo o programa o Papa encontrará os detentos, os funcionários civis, os agentes penitenciários e em seguida será feita a celebração eucarística no Salão do presídio com o rito do lava-pés de 12 detentos.

Em Velletri, a contribuição do voluntariado e a centralidade do interesse da tutela dos direitos humanos, também do ponto de vista do Evangelho, é fundamental.

Um dos grupos que trabalham como voluntários são os jovens da Associação Vol.a.re que desde janeiro de 2005 são um ponto de referência, de sensibilização e de informação para a comunidade civil sobre os problemas morais, sociais e humanos relativos à justiça e à segurança. “Aqui os voluntários encontram, escutam, acompanham os detentos para que possam redescobrir sua dignidade de homens”, explica o presidente da Associação Carlo Condorelli.

Além disso, há a assistência pós-cárcere dada pela Cáritas. O responsável Giorgio Innocenti, que está em contato diário com os encarcerados revela o “quanto seja sem fundamento o preconceito difuso entre as pessoas, mesmo entre os cristãos, que é impossível que quem tenha errado possa mudar”. Também evidencia a importância do abraço do Papa Francisco aos prisioneiros. “É um sinal significativo para aceitá-los e fazê-los ser aceitos por toda a comunidade”.

Via Vatican News

Compartilhe e evangelize: