Liturgia diária
Evangelho: Nossa Senhora de Guadalupe . Festa
Santo: Nossa Senhora de Guadalupe – Padroeira de toda a América

Para refletir: “A entrega é o primeiro passo de uma veloz caminhada de sacrifício, de alegria, de amor, de união com Deus. – E assim, toda a vida se enche de uma bendita loucura, que faz encontrar felicidade onde a lógica humana só vê negação, padecimento, dor.” São Josemaria
Jornal
Galeria de Fotos
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr

Sociedade de São Vicente de Paulo

A Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP), também conhecida por Conferências de São Vicente de Paulo ou Conferências Vicentinas, é um movimento católico constituído por leigos e leigas que se dedicam exclusivamente à justiça e a caridade.

Seu trabalho na Igreja consiste em realizar iniciativas destinadas a aliviar o sofrimento do próximo, em particular das pessoas em condições sociais e econômicas desfavorecias, por meio de uma atividade coordenada de seus membros.

A organização tem suas origens na cidade de Paris. No dia 23 de Abril de 1833, um grupo de sete jovens universitários liderados por Frédéric Antoine Ozanam (1813-1853), estudante de Direito na Universidade de Sorbonne. Tinha na época apenas 20 anos de idade.

Ozanam adotou São Vicente de Paulo (1581-1660) como patrono, inspirando-se no pensamento e na obra daquele santo, conhecido como o Pai da Caridade pela sua dedicação ao serviço dos pobres e dos infelizes. O lema da organização assenta na frase de São Vicente de Paulo: “A caridade é inventiva até ao infinito”.

A busca pela santificação pessoal foi a principal motivação de Ozanam e seus companheiros a fundar a Sociedade de São Vicente de Paulo. Prestar serviços aos que estiverem em dificuldades e levá-los a Deus sempre que possível é uma missão que faz parte do dia a dia dos vicentinos.

O aprimoramento espiritual de seus participantes era uma fundamental preocupação de Ozanam. Para ele os necessitados eram os principais meios que Deus lhes concedia para a realização deste aprimoramento. Também deixava claro que cada vicentino deveria insistir na promoção integral do assistido, orientando-o no plano material, mas muito mais no plano espiritual, para levá-lo a participação no Reino de Deus.

Dessa forma, os vicentinos devem estar sempre buscando orientações e atualizando-se nas modernas maneiras de assistir os homens de nossos dias, em suas misérias.
Para melhor organizar a própria caridade, surgiram as Conferências Vicentinas: grupos de pessoas, formadas, de no máximo quinze membros. Por meio de reuniões semanais os voluntários planejam o atendimento às famílias necessitadas e dividem a equipe para a realização de visitas aos assistidos. Uma forma de estar mais próximo dos pobres, e propor novas soluções para amenizar as desigualdades sociais.

Por se tratar de uma instituição a SSVP se organiza estruturalmente de seguinte forma: Conselho Geral, Conselho Nacional, Conselho Metropolitano, Conselho Central, Conselho Particular e Conferência.

A primeira conferência fundada no Brasil foi a Conferência São José, no Rio de Janeiro, em quatro de Agosto de 1872. Hoje são 17 mil Conferências em todo o Brasil, agregando mais ou menos 200 mil vicentinos. Em nossa paróquia temos a Conferencia Santa Edwiges desde 1975, que conta hoje com 8 membros, sendo o Sr. Manoel Granadeiro o Presidente e  Sr. Antonio – Vice. O Sr. Rino, que faleceu em 2011 foi membro ativo do grupo por muitos anos e tesoureiro.

As Regras da SSVP reafirmam os princípios fundamentais da instituição e contribui para manter a unidade entre os vicentinos. É por meio da Sociedade que o atendimento ao pobre é realizado de forma organizada.

As reuniões são mensais, sempre no sábado após o dia 16, neste dia também acontece a distribuição de cestas básicas.

A quantidade de distribuição de cestas depende muito das ofertas nos dias 16 e durante todo o mês.

São atendidas no mínimo 350 famílias. A regra é ajudar por quatro meses e parar para ajudar outras famílias. Em 1989 a média de cestas era de 80, hoje, às vezes passam de 700 cestas entregues no mês.

Diácono Marcelo Ocanha

Compartilhe e evangelize:

Conheça outras pastorais e movimentos de nossa comunidade: