Liturgia diária
Evangelho: Nossa Senhora de Guadalupe . Festa
Santo: Nossa Senhora de Guadalupe – Padroeira de toda a América

Para refletir: “São felizes as vidas que se consumirem no serviço da Igreja” Santa Tereza D´Avila
Jornal
Galeria de Fotos
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr

Pastoral do Dízimo

A palavra dízimo significa “décima parte” de alguma coisa. Podemos falar de dízimo do tempo, isso significa a décima parte do tempo disponível. Assim se dividirmos o dia em dez partes iguais teremos o equivalente a duas horas e 24 minutos.

Na antiguidade, os homens acreditavam que os fenômenos naturais como os tremores de terra e tempestades fossem manifestações da ira dos deuses e para aplacar tais iras faziam sacrifícios.

Com o tempo as coisas foram sendo esclarecidas, o homem foi compreendendo e estudando a natureza, no entanto, a prática de se oferecer sacrifícios e holocaustos permaneceu no seio de muitas religiões.

Havia o costume de se crer em muitos deuses. Dentre esses povos despontou o povo de Israel e este foi o primeiro a crer firmemente na existência de um único Deus. nós cristãos, por termos as raízes neste povo, recebemos de herança essa crença, não só, pois a revelação de Deus na pessoa de Jesus Cristo nos garantiu essa certeza.

O dízimo é uma das práticas herdadas do povo judeu. Na verdade o dízimo é uma das mais antigas formas de retribuição do homem a Deus e ao seu amor dentro de uma comunidade.

Hoje o dízimo se constitui como uma das formas de sentir-se responsável pelos outros que formam a Igreja-templo, mas também a Igreja-povo de Deus. Não é uma forma de pagamento por sacramentos e nem mesmo uma esmola dada à Igreja, ao padre ou a Deus. Antes de tudo o dízimo é a manifestação da co-responsabilidade de cada um para com a comunidade cristã da qual faz parte.

Pagar o dízimo não quer dizer isentar-se de outras responsabilidades para com a comunidade. Pelo contrário, o pagamento do dízimo deve ser o início do cumprimento da responsabilidade de cada um para com a Igreja, principalmente para com a comunidade onde vive.

O dízimo destina-se a atender duas realidades dentro da Igreja:

Por um lado temos a Igreja-povo, ou seja, a dimensão humana que se ocupa dos pobres e necessitados da comunidade e por outro lado existe a Igreja-templo, ou seja, o lugar onde nos reunimos como Igreja. Este prédio precisa ser mantido e tal manutenção depende da colaboração de todos. Lembrando que para manter nossos cultos (missas) é preciso uma série de utensílios como hóstias, vinho, flores, iluminação, água, limpeza, som, material para os músicos, os livros litúrgicos e tantos outros.

(dados obtidos no livro Pastoral do Dízimo do Ir. Roger Pilote)


Na Paróquia-Santuário Santa Edwiges existe um serviço dedicado à promoção, divulgação e organização do dízimo é a PASTORAL DO DÍZIMO.

O dízimo é um desafio da fé, portanto é uma oferta espontânea, comunitária, alegre, generosa, consciente e sistemática. Não é uma taxa, tributo ou alívio da consciência, muito menos um dinheiro que se dá ao podre.

O dízimo é um compromisso com Deus. Assim como precisamos manter nossas casas, a Igreja também precisa pagar as contas de água, luz, e outras, assim, conta com o compromisso fiel dos dizimistas.

Atualmente a pastoral do dízimo atua com um grupo de 13 pessoas, mas precisamos de mais voluntários (as), pois a messe é grande e os operários são bem poucos (cf. Mt 9,37).

Queremos aproveitar a oportunidade para agradecer a todos os fiéis dizimistas de nosso santuário, que Jesus derrame bênçãos em vossas vidas todos os dias e muito obrigado por dizerem sim a Deus.

Estamos presentes em todas as missas dominicais, ou na secretaria durante a semana.

Venha falar conosco!

Diácono Marcelo Ocanha

Compartilhe e evangelize:

Conheça outras pastorais e movimentos de nossa comunidade: