Liturgia diária
Evangelho: Nossa Senhora de Guadalupe . Festa
Santo: Nossa Senhora de Guadalupe – Padroeira de toda a América

Para refletir: “Prestai atenção ao que fez Maria. Imitai-a! E esse Deus de bondade recompensará a vossa fé” Santa Terezinha
Jornal
Galeria de Fotos
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr
  • Uma foto no Flickr

Instituição Providência Divina

O Documento 87 da CNBB Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil alerta que estamos numa época em que são oferecidas várias propostas às pessoas com uma aparência de liberdade, mas que na verdade se trata de ilusões que levam cada vez mais a um profundo individualismo a ponto de não se considerar a situação de tantos irmãos que sofrem as mais variadas formas de pobreza e exclusão social.

A fé cristã deve promover a dignidade da pessoa humana, reconhecendo nela a criação de Deus para a liberdade e a criatividade. Mais que isso, pela Vida Nova do mistério pascal, fomos remidos em Cristo, para tornarmo-nos plenamente filhas e filhos de Deus.

Para tornar concreta esta vida digna em Jesus Cristo o Documento aponta pistas de ações tendo quatro núcleos principais: Serviço; Diálogo; Anúncio; Comunhão.

No serviço, somos convidados a ajudar a formação humana das pessoas, a começar pela garantia das condições básicas de vida, passando principalmente pela educação e o aconselhamento; No diálogo, devemos educar ao respeito das diferenças, sejam religiosas, culturais, econômicas, etc, como pressuposto para a superação das discriminações; Através do anúncio, é preciso propor o evangelho de Jesus Cristo a todos e no testemunho de comunhão, formar comunidades cristãs verdadeiramente acolhedoras e fraternas, de comunhão e participação, de oração e experiência de Deus, de comunicação.

Isso tudo é muito bonito de ser lido e falamos na maior facilidade, mas quando vem o momento de pôr em prática, inventamos as melhores desculpas e fugimos da realidade e do compromisso.

A fé cristã vê todos os seres humanos como filhos e filhas do mesmo Pai, portanto irmãos e irmãs. A prática da comunhão fraterna marcou as primeiras comunidades cristãs: “Não havia necessitados entre eles” (At 4,34).
Como verdadeiros seguidores de Cristo, devemos nos esforçar para construir uma sociedade solidária sem o escândalo da exclusão e da violência na sociedade consumista.

Os cristãos sentem o dever de ser solidários com todos e de contribuir para a construção de uma sociedade, justa e solidária, da qual se possa dizer, como da primeira comunidade cristã: “Não havia necessitados entre eles”. Essa tarefa é enorme e nunca a faremos sozinhos.

O Documento oferece dicas de pequenas mais significativas iniciativas de práticas solidárias: o socorro às necessidades imediatas e urgentes, a reivindicação de políticas públicas, a participação política, de forma séria e comprometida com o bem comum, mutirão contra a miséria e a fome, levantamento das necessidades sociais, parcerias com a sociedade civil, incentivo à participação política, acompanhamento da atuação dos poderes públicos, promoção do direito à informação, luta contra o consumismo, apoio aos migrantes etc.

No plano do diálogo, pode-se haver colaboração com outros grupos religiosos e organizações não governamentais na educação à solidariedade, prevenção da violência, luta contra a corrupção, promoção da inclusão social, superação das discriminações, defesa da cultura das minorias.

Para isso, é preciso ter coerência de vida cristã, evitando todo contágio com o mercantilismo da sociedade consumista; uso adequado dos meios de comunicação social na evangelização; renovação da pastoral urbana; valorização da religiosidade popular; atenção especial aos jovens

Por fim, estaremos vivendo verdadeira comunhão quando formos capazes de dar testemunho de comunidade cristã que serve a sociedade na pessoa dos mais pobres; difundir a doutrina social cristã; formar a consciência social e política dos católicos; celebrar os eventos da vida do povo; empenhar para superar desigualdades e praticar solidariedade dentro da própria Igreja. (Diretrizes gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil – 2008-2010. Páginas 86 a 102, 130 a 140)


A Instituição Providência Divina reúne pessoas diversas de nossa comunidade Santa Edwiges que pretendem, com sua doação, ser uma “gota d’água no oceano”, mas carregada de ação do Evangelho na busca de saciar um pouco da fome de tantos e tantos irmãos famintos.

Este grupo teve início em Agosto de 2002 em um alojamento. Os primeiros membros foram os senhores Tiago Soares Cardoso e Gilson Lourenço dos Santos.

Sentindo a necessidade e atendendo ao apelo de pôr em prática o exemplo do “Bom Samaritano” começaram entregando 30 pães e uma garrafa de 20 litros de café com leite na região do Cambuci.

Hoje, oito anos depois desta primeira iniciativa, o grupo de voluntários aumentou e alterna a distribuição de alimentos aos domingos, sendo em média 1300 pães e 100 litros de café com leite num domingo e em torno de 600 marmitex no outro.

O grupo se encontra para o preparo da comida ou do lanche no salão paroquial São José Marello situado no Santuário Santa Edwiges tendo uma média de 12 voluntários. O objetivo do grupo é para com os moradores de rua, os quais se encontram morando debaixo de viadutos e pontes.

Além da distribuição de alimentos, o grupo faz atendimentos de primeiros socorros como curativos e encaminhamentos.

Os voluntários e voluntárias da Providencia Divina sabem que é pouco o que fazem, mas este pouco é capaz de fazer muita diferença em quem é beneficiado. O grupo está sempre precisando de colaborações e doações como: alimentos, copos descartáveis, marmitex e garfos, mortadela, saquinhos picotados e materiais de enfermagens como luvas, tocas, gases, água oxigenada, etc. Informações na secretaria paroquial.

 

Diácono Marcelo Ocanha

Compartilhe e evangelize:

Conheça outras pastorais e movimentos de nossa comunidade: