Para fazer conhecer, fazer amar e fazer cumprir a doutrina de Jesus Cristo

Os padres Oblatos de São José assumiram a Paróquia Santa Edwiges em 1973, fazendo dela, nestes 35 anos de presença, a morada de Deus e um lugar de paz.

Terminado o período de criação e instalação de nossa Paróquia Santa Edwiges, com a passagem dos Padres Afonso Hansch SDN, Regino Garcia e Belisário Campanile, nossa história começou a ficar marcada pela presença de uma nova congregação religiosa que, depois da Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora, passou a dirigir a pequena igrejinha do Sacomã. É a Congregação dos Oblatos de São José, cujo fundador é o santo italiano José Marello, Bispo da cidade de Acqui, no Piemonte.

Uma das principais atividades dos Oblatos de São José, além de se preocupar com a evangelização da juventude, o incentivo das vocações religiosas, a difusão à devoção de São José, bem como da catequese, é o trabalho e ajuda ao clero diocesano (padres que não pertencem a uma Congregação, obedecendo apenas às disposições do Bispo local) que sempre necessita de apoio. Os Josefinos, como são conhecidos por onde passam e instalam casas, chegaram em nossa Paróquia no dia  16 de setembro de 1973 com a posse de Padre João Batista Cerutti, OSJ. Ele então, é o primeiro padre josefino a ser designado como pároco em nossa comunidade. Em nosso livro tombo não constam muitas anotações sobre o seu pastoreio, mas cremos que foi de grande valia para o crescimento da comunidade. No dia de sua posse estavam presentes os Padres Pedro Magnone, superior dos Josefinos na época, Octávio Destro, vigário da Paróquia Nossa Senhora das Dores no Ipiranga e Padre Carlos A. Pigotto, então diretor da Clínica Infantil do Ipiranga.

O objetivo da vinda dos Padres Josefinos à nossa Paróquia tinha também a intenção de ser estabelecido aqui o Seminário de Teologia para formar uma comunidade religiosa de estudantes de Teologia. Depois um tempo não foi possível manter tal comunidade de teólogos, por dificuldades no campo formativo dos Padres Oblatos.

Padre João Batista Cerutti permaneceu até 1976 na Paróquia, sendo substituído pelo Padre Duílio Liburdi. Ele também, por motivos de viagem, teve que ser substituído. Atualmente o Padre João Batista Cerutti exerce o seu ministério presbiteral na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Londrina PR, e o Padre Duílio, depois de servir aqui mais uma vez por três anos, retornou para  a Itália e faleceu em 28 de agosto de 2008.

A história de nossa Paróquia seguiu com a nomeação de Padre Segundo Piotti, também dos Oblatos de São José. Ele foi um grande incentivador e propagador da devoção à Santa Padroeira dos endividados, socorro dos pobres e modelo dos políticos. É isso que conta o povo que o conheceu. Pude perceber em algumas fotos do nosso arquivo paroquial que a movimentação era feita por Padre Segundo através de muitas celebrações eucarísticas com uma grande ênfase nas primeiras comunhões. A procissão anual de Santa Edwiges já movimentava muitas pessoas que prestavam o seu culto a Deus pela intercessão valorosa da duquesa polonesa.

Aqui Padre Segundo viveu intensamente o seu ministério procurando fazer da igrejinha e adjacências um local de encontro e celebração da fé. Contam os anais históricos sobre sua vida, que com um trabalho quase sem descanso e com generosos sorrisos, convidava a todos para participar da vida de oração de comunidade naquele lugar que seria o futuro Santuário Santa Edwiges.

Padre Segundo Piotti era italiano, nascido em seis de dezembro de 1921 em Morgnaga, Província de Brescia. Ele impulsionou a devoção à Santa Edwiges, instituindo a novena perpétua de Santa Edwiges no dia 16 de cada mês, sendo ela transmitida pelos meios de comunicação social da época.

De maneira inesperada Pe. Segundo Piotti veio a falecer no Hospital Heliópolis, com 61 anos de idade, aos 26 de novembro de 1982. Visitando uma família amiga em São Miguel Paulista (Diocese esta onde ele ajudou a projetar e animar a construção da hoje Catedral de São Miguel Arcanjo) sofreu um derrame cerebral. A notícia de sua morte pegou todos de surpresa. Para a missa de corpo presente veio Dom Antonio Celso de Queiroz (um grande amigo da Paróquia–Santuário), Bispo da Região Ipiranga na época, sendo ladeado pelo Padre Mário Tésio, superior provincial, e outros vinte sacerdotes. Após as suas exéquias seu féretro foi transportado para Curitiba, onde foi sepultado no túmulo dos Padres Oblatos de São José, no cemitério da Água Verde. Padre Segundo Piotti tinha 42 anos de vida religiosa e 35 anos de sacerdócio.

 

Compartilhe e evangelize: