Liturgia diária
Evangelho: Confira as leituras da Liturgia da Palavra e a reflexão do dia
Santo: Conheça a história de fé do Santo celebrado pela Igreja

Para refletir: “O pecado é uma palavra, um ato ou um desejo contrários à lei eterna.” Santo Agostinho
Jornal
Galeria de Fotos
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
Palavra do reitor › 03/04/2017

Aleluia – Ele Ressuscitou!

Caros Paroquianos, Romeiros e Devotos de Santa Edwiges, alegria, Ele está vivo, Ele Ressuscitou, alegremo-nos e nele exultemos!

Em março iniciamos a caminhada quaresmal que nos coloca em preparação para a celebração do Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nos quarenta dias somos desafiados e animados a rever as nossas vidas, nossas histórias, nossas ações e voltar para a vida e vivência do grande Mistério, do Senhor que nos aponta a Salvação, a vida nova, a luz em meio às trevas.

Ser devoto de Santa Edwiges é ser um desafiado, para a vivência do grande Mistério Pascal celebrado. Nos diz os seus escritos; Ela é um grande exemplo de amor a Cruz, uma grande amante do mistério, radical na vivência dos exercícios da quaresma. Tinha um grande amor a Palavra, a qual fazia uma profunda escuta e silenciosa meditação, facilitava para todos os seus, ter este acesso, e se empenhava para celebrar e fazer a sua família viver com plenitude a preparação da Páscoa, ou seja, a vivência do Jejum, da oração e da penitência, estes descritos a nós como os exercícios quaresmais.

A Páscoa às vezes se perde o seu real e verdadeiro sentido, por que entra em nós elementos sociais, comerciais e se perde a verdadeira vivência de que ela nos desafia a viver o grande amor de Deus, a grande alegria da vida, da Ressurreição! Olhando para Edwiges, nós vamos nos deparar que a grande vivência pascal, se faz pela forte exigência a qual se propunha em preparar-se e a preparar a sua família para este evento maior. A centralidade de tudo se faz o Cristo, e a sua passagem pelo caminho do Calvário, a Cruz, a Sepultura e Ressurreição.

Aleluia, Ele Ressuscitou, é dito nas liturgias, se diz e se faz por quem entende essa caminhada. Alegria! Ele está vivo! Ao raiar do novo dia, Ele não se encontra mais no túmulo, Ele é presente nos corações em festa, nos corações que se voltam para Ele, na dimensão de se encontrar, em ações, palavras, gestos, atitudes de vida nova, que refletem a sua boa notícia, deixada nos seus dias, nas pregações, nos ensinamento dado aos Apóstolos, as comunidades e na sua vivência, seja no encontro com os pobres, com os deficientes, os de bom coração que precisavam de conversão, como Zaqueu, do qual ele vai cear na casa. Enfim alegria, aleluia, para quem se abre a viver o grande mistério, não sendo mais para motivos de grandeza, mais motivos de entrega, entendimento, vivência da grande entrega de amor, por entender o Grande Amor Misericordioso do gesto de Nosso Senhor ao se entregar por nós na Cruz, para a remissão de nossos pecados.

Aleluia alegremo-nos e exultemos neste que nos chama a conversão, a vivência de sua palavra, e anunciar esta como os enviados da Ressurreição, no grande “Ide e fazei discípulos meus todos, batizando-os”. “A Missão é Nossa” e a alegria da Ressurreição nos faça preparar neste Santuário a Missão, por amor a Jesus, a exemplo de Santa Edwiges, e pelo mandato da Celebração da Ressurreição.

Em Cristo, Feliz Páscoa, e que o Senhor seja a nossa fonte de Alegria, Ele Ressuscitou! Alegria está vivo.

Pe Paulo Siebeneichler
Pároco Reitor da Paróquia Santuário Santa Edwiges

Compartilhe e evangelize: