Santuário Santa Edwiges

Estrada das Lágrimas, 910 - Sacamã - São Paulo, SP

(11) 2274 2853

Palavra do reitor › 28/08/2014

A Bíblia e a vida

topicCaros Romeiros e Paroquianos.

Estamos no mês de setembro mês da primavera, mês das flores. Eis que surge uma nova estação, esperança que se renova junto com as brotas de toda a plantação, são estes fenômenos que passamos por despercebidos, mais que são de muita valia para as nossas vidas. Assim como a Igreja nos propõe este, como mês da Bíblia, se faltar à atenção passará sem deixar a sua suave marca para a nossa vida cristã.

A vida deve nos levar à grande vivência da misericórdia, e esta nos conduzirá ao caminho da paz e da boa convivência com tudo, como descreve o Salmo 136 no convite do versículo primeiro – “Daí graças ao Senhor por que é bom, porque é eterna a sua misericórdia.” E este grande louvor se estende a toda a criação. Desde a luz, o ar, a água e o fogo, os quatro elementos, a tudo que compõem a vida no firmamento e suas belezas com a vida e a história. Esta, se fazendo na memória celebrada em cada um dos acontecimentos da vida do povo de Israel e seus descendentes.

A Bíblia tem elementos que para os cristãos precisa ser reelaborado, ser dado o devido valor e colocado o acento ao seu verdadeiro fundamento. Por muito tempo, ela era uma literatura de uns poucos, ou por não saber ler, ou pela inacessibilidade, ou ainda pelo medo, pelo tamanho respeito dado, até de ser um livro “tão sagrado” ao ponto de não poder ser tocado por outro motivo por esse, ou aquele pecado, ou situação que se fez em sua vida, quase ao ponto de ser em vez, de uma fonte de vida, se tornar uma fonte de geração de pecado ou condenação de quem o tivesse tocada sem a devida autorização.

O que precisamos recuperar da Bíblia para os nossos dias? Dou algumas dicas, tentando encaminhar os nossos dias com este tão magnífico Livro Sagrado, que não perdeu a dignidade, e que nós o singularizamos tanto ao ponto de não dar a devida honra. Ter Ela como um sinal da fé, como a cruz, ao tomá-la, dar o devido respeito, abrí-la para ler, sempre invocar uma oração para que não seja uma leitura diversa, não como qualquer outro livro, procurar manter um hábito diário de acessar esta e deixar como um apoio de minha vida, de acesso fácil. Anotar o que gostei sublinhando e gravar na mente um versículo para a minha repetição durante o dia, fazer dessa uma literatura de meu cotidiano. Evitar deixar ser só coisa de outras pessoas, ou de quem estudou mais, ou de quem está na vida religiosa ou, engajada na vida da comunidade. A Palavra de Deus deve ser de todos e estar em qualquer lugar, em minha mente, em meu coração e em meus lábios, sendo por mim pensada, amada e proclamada.

Como o mês do início da primavera, possa a Bíblia ser colocada em sua vida, na dinâmica das flores, em silêncio, uma após outra, até se formar o jardim, assim sua prece com a palavra, um acesso após outro, até se tornar uma presença em sua toda sua vida.
Em Cristo, bom mês de setembro e boa preparação para a festa de Santa Edwiges em Outubro.

Pe Paulo Siebeneichler
Pároco Reitor da Paróquia Santuário Santa Edwiges

X