7º DIA – AS PEQUENAS COISAS

Meditação

O verdadeiro caminho da santidade consiste em fazer sempre com amor as pequenas coisas de que está cheia a nossa vida. Santa Terezinha do Menino Jesus chegou a afirmar que um alfinete apanhado do chão com amor pode salvar uma alma… Assim, animadas pelo amor, essas pequenas coisas se transformarão num grande ramalhete para oferecermos a Deus.

A nossa dificuldade está em não saber aproveitar as ocasiões que se apresentem diante de nós. Julgamos que só grandes feitos, custosos sacrifícios, graves sofrimentos é que nos levam à perfeição. Nada mais errado. Os pequenos momentos de cada dia também são degraus que nos levam seguramente a Deus. “Se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, não entrareis no reino dos céus” (Mateus 18,3).

Exemplo

Além das penitências corporais, Edwiges entregava-se também a demoradas meditações, contemplando a Paixão de Cristo e as dores de Nossa Senhora. Em tais ocasiões, que eram freqüentes, derramava copiosas lágrimas de compaixão.

A princesa Ana de Boêmia, sua nora, esposa de Henrique, ao contemplá-la nesse estado, exclamava: “Li a vida de muitos santos, porém não encontrei em nenhum deles tanta austeridade como vejo em minha sogra”.

Uma virtude que se destacava claramente em Edwiges era a paciência. Nunca ninguém a viu encolerizada ou mesmo exaltada, fosse qual fosse o desapontamento a enfrentar. Tratava com maior delicadeza a todos que a procuravam, esquecendo totalmente a sua posição elevada e a sua nobreza. Não respondia asperamente a quem quer que fosse, nem mesmo àqueles quem viessem a magoá-la com fatos ou palavras. Tinha, por isso, o dom de acalmar os enraivecidos. Quando as discussões entre algumas pessoas atingiam o auge, era suficiente a sua presença para transformar em serenidade os ânimos exaltados.

Recebendo grosserias, o que acontecia quando se aproximava de pessoas soberbas ou ignorantes, respondia apenas com estas palavras: “Por que fez isso? Vou pedir a Deus que lhe perdoe “.

Compartilhe e evangelize: